Que lindo é viver!

Que lindo é viver! - Conexão Eclésia
Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

Era uma linda manhã de verão. O pastor Alfredo Vartabedian (grande amigo e companheiro na obra do Senhor por cinquenta anos) e eu nos encontramos visitando uma cidade no interior do estado de Buenos Aires. Uma família que estava de férias havia nos emprestado sua casa. Havíamos levantado cedo para termos uma reunião congregacional naquele domingo pela manhã. Da mesa onde tomávamos o café da manhã podíamos contemplar, através de uma ampla janela, o lindo jardim da casa. Havia um sol esplêndido. Uma temperatura ideal de 24 graus centígrados. Corria uma brisa agradável. O verde do gramado, as árvores, o canto dos pássaros, as flores e o azul intenso do céu formavam um cenário que harmonizava muito bem com a paz interior que sentíamos naquele momento de quietude e comunhão com o Senhor. E veio ao meu coração esta reflexão: “Que lindo é viver! Que linda é a vida tal como Deus a criou e planejou! Que lindo é conhecer a Deus e ter comunhão com Ele; saber que Ele é nosso Pai e que nos ama tanto!” E assim começamos a expressar a Deus nossos sentimentos de gratidão e adoração. Nos encontrávamos em um desses momentos de plenitude em que desejaríamos permanecer para sempre.

Logo meus pensamentos tomaram outra direção e eu disse: Lamentavelmente há poucos hoje que podem dizer “Que lindo é viver!” A maioria das pessoas estão cansadas da vida. No profundo de seu interior há tristeza. Não são muitos que têm alegria e entusiasmo de viver. Muitos sentem alegrias superficiais e passageiras que não conseguem preencher seus corações. Hoje, grande parte das pessoas fogem de seu “eu” interior. Quando estão sozinhas, sem nada para fazer, se deprimem. Necessitam sempre de uma atividade, um entretenimento: música, televisão, mp3, internet, programas, saídas, passeios, amigos, barulho, movimento.

É possível que algumas dessas coisas sejam um entretenimento sadio, mas deixam de ser quando se tornam uma forma de fugir da nossa interioridade, pois tudo acaba. As festas terminam, os programas terminam, as férias chegam ao fim. E outra vez temos que encontrar-nos com nós mesmos, com nossa interioridade.

Muita gente está dominada por um sentimento negativo; são pessoas que se consideram fracassadas na vida e se sentem perdedoras, infelizes, sem futuro. Se comparam com outras e pensam que não tiveram sorte na vida. Alguns vivem dominados por esse pensamento: “Algo em mim está mal e eu não sei o que é”.

Outros atribuem seu estado às circunstâncias negativas que tiveram de enfrentar na vida, falta de dinheiro, de uma casa melhor ou de um emprego melhor.

O que está enfermo crê que seu problema é a falta de saúde. Os que são solteiros consideram que casar é a solução. Alguns que se casaram pensam: “Meu problema é que me casei com a pessoa errada”.

Devemos nos focar em superar e curar o problema que está em nós mesmos, em nosso interior. Deus não nos prometeu que todos os dias o sol brilharia, ou que teríamos a temperatura ideal de vinte e quatro graus. Haverá dias nublados, de chuva e até de terríveis tormentas. O importante é que o sol brilhe em nosso coração permanentemente.

Trecho extraído do livro “Curados pela Palavra” de Jorge Himitian. Garanta o seu na Loja Servo Livre.

blank
Siga

Sérgio Franco

Equipe . Conexão Eclésia em Conexão Eclésia
blank
Siga

Últimos posts por Sérgio Franco (exibir todos)

Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest