Uma oferta sem sentido. Será?

Uma oferta sem sentido
Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

Há muito eu quero entender o sentido real da oferta daquela viúva pobre. Aquela que depositou 100% de suas economias no gazofilácio dos religiosos avarentos dos dias de Jesus. Uma viúva que deu tudo do pouco que tinha. Faz-nos lembrar daquela outra viúva que tirou o pão de sua boca e da boca do seu único filho para alimentar um homem adulto. Se não soubéssemos como terminou a história da viúva de Sarepta certamente não compreenderíamos o seu ato. Se não soubéssemos que Jesus elogiou a que ofertou tudo e que Deus Pai alimentou milagrosamente por tempo suficiente a que atendeu a Elias, como pensaríamos? Se nós não conhecêssemos a história, o que diríamos sobre estas ofertas? Um desperdício? Uma loucura? Um fanatismo religioso?

Será que não se faz necessário um ato de fé para nos libertar daquilo que nos escraviza?

Imagine alguém vivendo uma baita crise financeira ser desafiado pelo Espírito Santo a dar tudo do pouco que lhe resta. Será que Deus nos proporciona estas experiências nos dias de hoje? Será que Ele pediria para entregarmos o pouco que ainda temos? Será que Ele nos guiaria a dar aquilo que não é nem sequer suficiente para nos manter por pouco tempo? Isto é uma loucura ou um ato de fé libertador?

Eu creio que quando estamos subjugados por um poder que nos destrói como a fome a resposta adequada é uma oferta de fé e amor. Este princípio se aplica a todas as nossas lutas. Precisamos concordar sempre com Deus, mesmo quando tudo parece perdido. As ofertas das viúvas parecem atos de desespero, mas não o são, pelo contrário, são atos de esperança em Deus. Se não conhecêssemos o desfecho poderíamos pensar equivocado, mas por vermos a história pelo prisma Divino, sabemos que não foi o desespero que guiou aquelas mulheres, mas a fé e a esperança.

A fé depende de ouvir a Palavra. O problema é que muitas vezes esta Palavra está na boca de um profeta conhecido nosso, bem íntimo, quem sabe criado na nossa casa. Imagine um profeta bem chegado à nossa vida, bem pertinho da nossa dor, falar que precisamos entregar tudo num ato de fé e esperança. Se já é difícil dar quando achamos que não temos, quanto mais dar ouvindo um profeta de casa.

Curiosamente, quando Jesus cita a viúva de Sarepta, o contexto é esse: como receber no coração um profeta de casa?”

“Todos lhe davam testemunho, e se maravilhavam das palavras de graça que lhe saíam dos lábios, e perguntavam: Não é este o filho de José? Disse-lhes Jesus: Sem dúvida, citar-me-eis este provérbio: Médico, cura-te a ti mesmo; tudo o que ouvimos ter-se dado em Cafarnaum, faze-o também aqui na tua terra. E prosseguiu: De fato, vos afirmo que nenhum profeta é bem recebido na sua própria terra. Na verdade vos digo que muitas viúvas havia em Israel no tempo de Elias, quando o céu se fechou por três anos e seis meses, reinando grande fome em toda a terra; e a nenhuma delas foi Elias enviado, senão a uma viúva de Sarepta de Sidom. Havia também muitos leprosos em Israel nos dias do profeta Eliseu, e nenhum deles foi purificado, senão Naamã, o siro.” Lucas 4:22-27

Em todo o caso, apesar deste aviso do Nosso Senhor, vou me atrever a falar com meus irmãos: Este princípio de ir contra o impossível se aplica a todas as lutas da nossa jornada. Por exemplo: Quando tudo nos exige que façamos algo por nós mesmos, o ato de fé e confiança em Deus é esperar e descansar Nele. Um filho de Deus quando espera por Ele está dizendo que confia Nele. Quando descansamos Nele, estamos dizendo que confiamos SOMENTE NELE. Creio que por esta razão é tão difícil esperar e descansar em Deus. Quando estamos subjugados por um inimigo, ter muito ou pouco não faz diferença. Foi por isso que Gideão dispensou milhares para lutar apenas com 300 (trezentos). A diferença fundamental é concordar com Deus. É pactuar com O Pai. É lançar tudo aos Seus pés e confiar que a vitória será nossa mesmo sem recursos humanos, mesmo sem soldados suficientes, mesmo sem farinha na lata, sem moedas no bolso. Se você já está cansado de apanhar está na hora de reagir e concordar com Deus. Faça um pacto com Ele. Entrega ao Senhor tudo o que você é e possui. Confia a Ele todos os seus caminhos. Estou te desafiando! Não aceite ser reprovado mais uma vez.

Não espere seus recursos terminarem por completo. Desafie o seu inimigo, seja ele qual for e tenha o tamanho que tiver. Desafie ele depois que concordar e se submeter totalmente ao Seu Deus e Pai. Sei que vai perecer uma loucura, mas a sua história não terminou e nem vai terminar do jeito que você imagina.

“Graças, porém, a Deus, que, em Cristo, sempre nos conduz em triunfo e, por meio de nós, manifesta em todo lugar a fragrância do seu conhecimento.” 2 Coríntios 2:14

Assim diz o Senhor: “A minha alegria é a sua força. Não fraqueje, não desmaie. Sua força não são os seus recursos, mas a minha alegria. Sei que você está cansado, mas esta batalha não lhe destruirá, mas lhe fará crescer em fé”.

No amor do Senhor Jesus,

Sérgio Franco

blank
Siga

Sérgio Franco

Equipe . Conexão Eclésia em Conexão Eclésia
blank
Siga

Últimos posts por Sérgio Franco (exibir todos)

Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest