A influência do passado sobre o presente

Passado e presente
Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

Qual é o impacto ou influência do meu passado sobre a minha vida hoje?

Ainda que muitos não creiam que suas reações de hoje estão sob os efeitos do passado, na minha experiência pastoral percebo que vários problemas que tratamos tiveram suas origens nos traumas antigos que cada um viveu.

Observo irmãos que sofreram rejeição na infância tendo problemas na vida afetiva hoje. Conheço gente que possui dificuldades de se abrir e quando o faz não consegue expressar seus sentimentos. Quase rimando, eu penso que pais perfeccionistas produziram filhos que não desfrutam de suas conquistas. Filhos que foram castigados severamente por erros e equívocos naturais de criança, hoje não conseguem confessar com liberdade e profundidade seus pecados para receberem perdão. Os abandonados quando crianças, em geral se tornaram pessoas ansiosas e cheias de medo. Aqueles que acreditaram que deveriam ser perfeitos para receberem amor, hoje, não conseguem aceitar às imperfeições dos outros. Procuram pessoas ideais e rejeitam as pessoas reais e cheias de falhas.

Tantas reações estranhas e raras que só encontram explicações em passados cheios de abusos, traições, traumas, comparações, sobrecargas, etc. Condutas presentes que se sustentam nas lembranças traumáticas.

Por que tanta dor não produziu humildade e mansidão? Claro que todo este sofrimento só fortaleceu o orgulho e a iniquidade, ou seja, o esforço humano para suprir suas próprias carências e necessidades. Poderia dizer que além das perdas e maus tratos que sofremos, nós também somos vítimas do nosso próprio pecado. Normalmente pensamos que só padecemos as dores provocadas por outros, cremos que somos resultado do mal causado pelos de fora e nos esquecemos que muito da nossa queixa é por causa dos nossos próprios pecados. Nós também traímos, furtamos, mentimos, rejeitamos, abortamos, nos drogamos, nos prostituímos, nos associamos com demônios em todos os sentidos. Coisa boa não fizemos e por isso também coisa boa não colhemos.

Como suplantar os danos que encontramos no presente se não podemos mudar o nosso passado? Se ninguém pode mudar o seu próprio passado, então como evitar ou mesmo transformar as maldições em bênçãos? Como anular a influência de um passado catastrófico sobre o nosso presente, sobre a nossa vida atual?

É verdade quando afirmamos que não podemos mudar o passado. No entanto, é verdade também afirmar que podemos, com a ajuda do Espírito Santo, mudar os efeitos do nosso passado sobre o nosso presente. Não podemos mudar o passado, mas com a graça do Senhor podemos nos livrar das consequências traumáticas do passado. Jesus disse que quando permanecemos em Sua Palavra duas consequências nos alcançam. A primeira é que nos tornamos Seus discípulos e a segunda é que por conta disso conheceremos a Verdade e esta Verdade nos libertará (João 8:31 e 32)

O Senhor de fato é o Nosso Auxílio sempre e em tudo. Ignorar o Senhor nos mantém cativos. Sem Ele não há liberdade. Sem Ele não há cura. Por isso muitos que buscaram ajuda profissional para a cura dos traumas passados só chegaram no máximo até o diagnóstico. Por essa razão que os “Direitos Humanos” levam a vitimização os humanos. Os homens que não querem saber do Criador e desejam liberdade e cura serão frustrados.

Creio que esta é a primeira “grade” que nos prendem no mundo (Egito): Negar o Criador. Os homens até celebram a criação, pois muitos são movidos pelos fundamentos “panteístas”. Mas insistem em negar o Criador e se render a Ele. Se não fomos criados, não há propósito para a vida. Se não há um Criador, não há propósito e não há como restaurar as dores do passado. A vida sem um Criador não faz sentido. Se somos apenas o resultado de uma explosão sem propósito, como curar as consequências do nosso passado?  Quando negamos que há um Criador que nos criou com propósito, negamos também toda e qualquer possibilidade de cura e liberdade.

Sofrer sem Deus é sofrer sem esperança. Ouvi outro dia num filme uma frase que dizia mais ou menos o seguinte: “O ateísmo só rouba a esperança, mas não nos quita a dor.” Eu poderia agregar que o ateísmo não rouba a esperança humana, pois uma coisa é a esperança humana e a outra é a “Esperança Divina”. O homem espera por ele mesmo. A esperança humana se baseia em soluções inteligentes. Por isso se muda tanto de emprego, de cidade, de parceiro. Há uma busca, mas não por Deus. Jó disse que a esperança do incrédulo perecerá. (Jó 8:13)

Só quem andou com Deus pode dizer: “Quero trazer à memória o que me pode dar esperança. As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade. A minha porção é o SENHOR, diz a minha alma; portanto, esperarei nele.” Lamentações 3:21-24 (RA)

Só quem conhece o Senhor, pode perguntar e responder: “E eu, Senhor, que espero? Tu és a minha esperança.”Salmos 39:7 (RA)

Só quem confia Nele pode afirmar: “Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa, porque dele vem a minha esperança.”Salmos 62:5 (RA)

Só quem experimentou Sua vontade pode declarar: “Pois tu és a minha esperança, SENHOR Deus, a minha confiança desde a minha mocidade.”Salmos 71:5 (RA)

Jeremias também disse: “Bendito o homem que confia no SENHOR e cuja esperança é o SENHOR.” 17:7 (RA)

Quando passamos com o Senhor pelo vale da sombra da morte, há esperança, pois esperamos NEle e por Ele. Há uma colossal diferença entre sofrer com Deus e sofrer sem esperar NEle. Quando andamos com Ele, as aflições nos moldam e nos deixam mais parecidos com Jesus.

A primeira semente que eu gostaria de semear no coração do leitor é esta: HÁ ESPERANÇA PRA VOCÊ! Se você se voltar e abrir o seu coração para o Senhor Jesus encontrará Nele liberdade e cura, pois Ele, somente Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida. Só por Ele se chega ao Pai Celestial. Não se desespere, pois há esperança. Suas lembranças e dores podem SIM serem curadas e você pode experimentar a verdadeira liberdade das cadeias do passado que te prendem.

Por fim, vale a pena refletir sobre o que Paulo também declarou: “Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens.” 1 Coríntios 15:19 (RA)

Ou seja, quando Deus é a nossa esperança, não apenas os danos do passado deixam de presidir o nosso presente, mas também vivemos o hoje com a certeza de que há um futuro garantido além da vida.

No amor do Senhor Jesus,
Sérgio Franco

blank
Siga

Sérgio Franco

Equipe . Conexão Eclésia em Conexão Eclésia
blank
Siga

Últimos posts por Sérgio Franco (exibir todos)

Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest
  • janaina de miranda Silverio

    Muito bom!

  • Marcos Paulo Silva

    Sempre edificante os textos e as ministrações do Sérgio Franco. Incrível como Deus pode usar a vida de uma pessoa. Fui banhado por uma fonte inesgotável de sabedoria e ensinamento nas duas ocasiões que estive pessoalmente com esse servo !

  • janaina de miranda Silverio

    Muito bom!

  • Marcos Paulo Silva

    Sempre edificante os textos e as ministrações do Sérgio Franco. Incrível como Deus pode usar a vida de uma pessoa. Fui banhado por uma fonte inesgotável de sabedoria e ensinamento nas duas ocasiões que estive pessoalmente com esse servo !