Lei da Semeadura: O que a Bíblia fala sobre isso?

lei da semeadura
Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

1. Compreendendo a Lei da Semeadura

A falta de uma compreensão exata sobre a Lei da Semeadura pode levar muitas pessoas a desanimarem ou até mesmo a desistirem da fé. Se você nunca ouviu falar, a Lei da Semeadura consiste naquela conhecido princípio que diz que colhemos o que plantamos. Essa verdade está baseada em Galátas 6:7-8.

“Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna” (Galátas 6:7-8)

Muitas vezes, quando pensamos em “zombar de Deus”, lembramos de certos humoristas que fazem piadas sem nenhum temor ou respeito ao nome do Senhor. Porém, o texto de Gálatas 6:7 e 8 trata de outra atitude que também zomba de Deus: viver a vida desconsiderando que a gente colhe o que semeia, não levando a sério a Lei da Semeadura, como se não sofrêssemos consequências das nossas atitudes. Sob essa ótica, muita gente que nunca fez uma piada com o nome do Senhor, ainda assim pode estar zombando de Deus.

Embora a Lei da Semeadura seja apresentada explicitamente no texto de Gálatas, podemos também encontrá-la em outros textos bíblicos, nos quais podemos confirmar claramente uma grande verdade: Não podemos colher algo de natureza diferente daquilo que semeamos. Assim como quem semeia maça não pode colher pêra, quem semeia o mal não pode esperar colher o bem que não plantou.

“O que semeia a injustiça segará males” (Provérbios 22:8a).

“Porque semeiam ventos e segarão tormentas” (Oséias 8:7a).

“O perverso recebe um salário ilusório, mas o que semeia justiça terá recompensa verdadeira” (Provérbios 11:18).

Além disso, a colheita é sempre proporcional à semeadura.

“Quem somente observa o vento nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca segará” (Eclesiastes 11:4).

“E isto afirmo: aquele que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará” (II Coríntios 9:6).

A Lei da Semeadura é um princípio que não podemos evitar: aquilo que a gente semeia, a gente ceifa. E essa Lei tem impacto sobre todas as áreas da nossa vida: familiar (Salmo 128:1-4; Provérbios 22:6), profissional (Provérbios 22:29), financeira (II Coríntios 9:6-11) etc.

Porém, há algo que precisamos considerar: é possível que você já esteja semeando o bem a muito tempo, fazendo a vontade de Deus e ajudando as pessoas, e ainda assim não tenha visto sua colheita chegar. Você pode estar pensando: “já semeei muito, mas ainda não colhi o bem”.

Por certos momentos você chega a pensar que só poderá colher o bem no porvir, na eternidade. Entretanto, você se depara com realidades de outras pessoas que semearam pouco, muito menos do que você, e ainda assim já estão colhendo o bem que semearam. Como isso é possível? Deus estaria sendo injusto, privilegiando alguns de seus filhos e se esquecendo de outros? Esses questionamentos podem te conduzir a uma profunda crise de fé, te levando até mesmo ao desânimo e à desistência.

Para entendermos o que a Palavra de Deus nos ensina sobre a Lei da Semeadura, precisamos avançar um pouco mais na leitura de Gálatas 6, até chegarmos no versículo 9:

“E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos” (Gálatas 6:9).

Esse texto ensina que semeadura é real. De fato, a gente colhe o que planta. Desprezar esse fato é zombar de Deus. Porém, quando semeamos o bem, Gálatas 6:9 nos ensina que há duas condições que devemos cumprir para colhê-lo: a perseverança e o tempo certo

2. A Lei da Semeadura e a Perseverança

Não nos cansar de semear o bem é a primeira condição para que um dia possamos colhê-lo, se não desfalecermos. Ou seja, se você semeou no passado, mas se cansou e parou, não terá como ceifar o bem semeado lá trás. Você só colhe o bem se não desfalecer, se permanecer semeando.

3. A Lei da Semeadura e o Tempo Certo

Gálatas 6:9 nos ensina que devemos perseverar até o tempo certo da colheita. “A seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos”. O tempo certo é a segunda condição para a colheita. E a verdade é que cada um de nós tem o tempo certo de colher. Eu não sei te dizer qual é o tempo em que você vai colher o bem que tem semeado hoje. Também não sei dizer quando eu mesmo vou ceifar. Só sei que já colhi algumas coisas que semeei no passado. Mas o que eu estou plantando hoje eu não sei se ceifarei em breve. Porém, tenho a convicção de que a colheita é certa no tempo que Deus determinar.

4. A Lei da Semeadura e a Lei da Transformação

E qual é a razão desse “a seu tempo”? Precisamos entender que Lei da Semeadura não é uma lei que opera sozinha, isolada de outros princípios espirituais. Existem outras leis que atuam juntas. E uma das leis mais importante que impacta na Lei da Semeadura, é a Lei da Transformação, a verdade que nos diz: Deus quer te fazer parecido com Jesus. O Senhor te chamou pra isso, e vai usar todas as coisas para esse fim, nem que, para isso, tenha que fazer com que a sua colheita demore um pouco mais  vir, e que você tenha que esperar mais.

“Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito. Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos” (Romanos 8:28,29).

Deus age em todas as coisas para o nosso bem. Mas o bem que Ele quer nos fazer é nos conformar com o caráter de Cristo. Deus realmente age em tudo, inclusive quando nos faz esperar.

A espera é uma das coisas que mais nos quebranta e nos prova. Abraão, por exemplo, quando teve que esperar a promessa se cumprir, o nascimento de Isaque, ele foi provado, e na espera foi reprovado naquela história envolvendo Hagar.

Somos provados quando o bem que a gente semeou demora a vir. A Bíblia chega a dizer que a esperança adiada adoece o coração:

“A esperança que se retarda deixa o coração doente, mas o anseio satisfeito é árvore de vida” (Provérbios 13:12).

Nós podemos adoecer enquanto esperamos. Mas isso só acontece quando essa espera é desprovida de confiança em Deus.

“esperei confiantemente pelo SENHOR; ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro” (Salmo 40:1).

“Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu” (Salmo 42:5).

A espera é uma ferramenta que Deus usa para nos quebrantar, nos humilhar, nos provar, pra nos fazer depender dEle e confinar nEle. Por isso, algumas das nossas colheitas boas demoram a vir. Afinal, mais interessado do que em te entregar uma colheita, nosso Pai quer transformar à imagem de Jesus, te fazer manso e humilde como o Mestre. E Deus vai usar a espera para isso. Ele vai usar o que para nós é demora, mas para Ele é instrumento de transformação das nossas vidas.

Precisamos crer nisso. Junto com a Lei da Semeadura opera o Princípio da Transformação.

Você vai colher o que você tem semeado de bom. Não se esqueça disso. Mas isso só vai acontecer se você não desfalecer e apenas no tempo certo. E o que colher aqui nesta terra, você ainda tem o porvir, a eternidade para experimentar.

Não desanime, não se canse de fazer o bem.

“Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes” (Salmo 126:6).

Em Cristo,
Anderson Paz

blank
Siga
blank
Siga

Últimos posts por Anderson Paz (exibir todos)

Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest