O mistério da vontade de Deus

o mistério da vontade de Deus
Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

“Descobrindo-nos o mistério da sua vontade… De tornar a congregar em Cristo todas as coisas…” (Efésios 1:6-8).

Deus, por sua graça, não só nos redimiu, mas nos deu sabedoria e inteligência ao nos revelar o mistério da sua vontade. Qual é a vontade de Deus para o homem? Qual é o projeto dEle? Se trata de um mistério, um segredo somente conhecido por Deus. Este conhecimento não pode ser adquirido por esforço humano, seja intelectual, racional ou espiritual, mas unicamente por revelação de Deus. Louvado seja o Senhor, que nos deu a conhecer o mistério da sua vontade!

A palavra chave que revela o mistério da vontade de Deus é o verbo “tornar congregar” (re-unir). O plano a que Deus se propôs consiste em voltar a unir todas as coisas debaixo do governo de Cristo.

Este verbo em grego é anakefalaiostai. Esta formado pela soma de três palavras: ana (novamente) + kefalé (cabeça) + iostai (unir). Significa reunir todas as coisas debaixo de um cabeça. O significado do texto é o seguinte: Deus se propôs a unir novamente tudo debaixo de um só cabeça, que é Cristo. Este verbo era usado para descrever o reagrupamento e reorganização de um exército que havia sido vencido, dizimado e disperso, novamente debaixo da autoridade de um novo comandante.

Esta revelação pressupõe pelo menos 3 coisas:

  1. Que originalmente o universo estava unido e ordenado harmonicamente debaixo da autoridade de Deus.
  2. Que algo aconteceu no mundo e esta unidade foi rompida.
  3. Que Deus, sabendo de antemão que isso iria ocorrer com a humanidade, por sua graça, se propôs a tornar a unir tudo debaixo da autoridade de Cristo como cabeça.

Consideremos isso mais detalhadamente:

A palavra mundo, que se usa neste versículo, em grego é cosmos, e significa ordem, harmonia, beleza. Deus criou o universo em unidade, ordem e perfeita harmonia. A raiz da palavra “universo” é “uno”. Todo o universo formava uma unidade debaixo do governo de Deus.

Qual era o plano original de Deus?

O plano era a unidade de tudo e todos. Um mundo unido, belo, harmonioso, em que o home viveria em comunhão com Deus, amando, adorando e obedecendo a Ele. Um lugar onde houvesse unidade do homem com seu próximo, a harmonia do ser humano com a natureza e com a criação. Onde houvesse unidade no casamento, na família e em toda humanidade. O projeto eterno de Deus era de uma sociedade unida, solidária, sem egoísmos nem rivalidades, uma humanidade que vivesse em paz e amor, onde cada um, imbuído do amor de Deus, amasse a seu próximo como a si mesmo. Como seria o mundo hoje se cada um amasse ao próximo como a si mesmo?

Desafortunadamente, o home se rebelou contra o Senhor, e, aceitando a proposta do inimigo de Deus, pecou, fazendo com que entrasse no mundo, a morte. Morte significa separação, divisão. A unidade que havia entre o homem e Deus, entre o homem e seu próximo e até a unidade do ser humano consigo mesmo se rompeu. Surgiram o ciúme, a inveja, as contendas, os homicídios, os fratricídios, as guerras, as injustiças, o divórcio, a avareza, a distribuição desigual das riquezas, os conflitos sociais, a discriminação racial, etc. A história da humanidade se converteu numa história de guerras, sangue, ódio, violência, crime e morte. Tão longe do modelo de sociedade projetado por Deus! A própria natureza foi afetada pelo pecado do homem, na condição de administrador do planeta Terra. Os homens e mulheres se tornaram inimigos de Deus e inimigos do seu próximo.

Diante desse quadro de uma humanidade destruída, dividida e marcada pela inimizade, é fundamental que façamos a seguinte pergunta:

O que Deus se propôs a fazer? Qual é o Seu plano, afinal?

Deus não abandonou o mundo à sua própria sorte. Por seu grande amor, na plenitude dos tempos, mandou seu Filho a este mundo pecador, para levar a cabo seu plano de salvação. Cristo pagou, com sua morte, o preço da nossa redenção, matou em seu corpo as nossas inimizades, nos reconciliou com Deus e com nossos semelhantes. O Pai ressuscitou a seu Filho dentre os mortos e o exaltou ao mais alto lugar. A vontade de Deus é voltar a reunir todos os homens debaixo da autoridade de Cristo. Cristo é a proposta de Deus para todos os problemas da humanidade.

O que é a Igreja?

A Igreja é a realização do sonho de Deus na Terra. É o seu projeto eterno para a humanidade. Este sonho foi consumado potencialmente na cruz:

“Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades (Efésios 2:14-16).

“Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus” (Gálatas 3:27-28).

Em um mundo dividido, onde reina o individualismo, a injustiça, o egoísmo, a competição e as guerras, a Igreja é a parte da humanidade que, em Cristo, se reencontrou com Deus para se tornar um com Ele – é a humanidade reconciliada. A Igreja, em sua natureza essencial, é perdão, paz, reconciliação, serviço e amor. A Igreja é comunidade, família e unidade. É o ósculo santo, o abraço fraterno, o pão compartilhado, a comunhão de bens e o afero entranhável. É o fim da solidão, do individualismo, das divisões e das guerras. A Igreja é o “shalom” de Deus instalado entre os homens para manifestar ao mundo o maior de todos os milagres: a unidade.

O que podemos dizer sobre a atual divisão que há na Igreja?

Deus revelou o mistério da sua vontade. Qualquer divisão na Igreja é inadmissível, está contra a vontade de Deus e atenta contra o seu plano eterno. A divisão atual da Igreja não tem nenhum fundamento bíblico nem teológico, e só pode ser explicada como foi acontecendo na história. Como Deus se propôs a voltar a unir tudo debaixo da única cabeça da Igreja, que é Cristo, cremos firmemente que a atual divisão da Igreja será gradativamente superada até que todos conformemos aqui na Terra o único Corpo de Cristo. A oração de Jesus em João 17 será plenamente respondida pelo Pai: “que todos sejam um… para que o mundo creia que me enviaste”.

Jorge Himitian
Extraído do livro “Projeto do Eterno”, que é encontrado na loja Servo Livre.

Conexão Eclésia

Conexão Eclésia

Amamos a Jesus, por isso lutamos por Sua vida na Igreja.
Conexão Eclésia

Últimos posts por Conexão Eclésia (exibir todos)

Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest