Sexo é uma bênção!

Sexo é uma bênção!
Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

Sexo é uma bênção.  Sim, é isso mesmo. É uma benção concedida por Deus. E a Bíblia me dá total certeza disso.

Tudo o que Deus criou é bom. E quando criou o homem e a mulher, Ele viu que era muito bom (Gn. 1:27;30).

Antes mesmo que houvesse pecado no mundo, Deus já tinha ordenado ao homem e à mulher: “Sejam férteis e multipliquem-se” (Gn. 1:28). E não havia outra forma para o homem e a mulher se multiplicarem senão por meio do sexo. Portanto, o sexo foi criado por Deus antes de qualquer pecado ter surgido no mundo.

O livro de Provérbios orienta seus leitores a desfrutarem do sexo: “Seja bendita a sua fonte! Alegre-se com a esposa da sua juventude. Gazela amorosa, corça graciosa; que os seios de sua esposa sempre o fartem de prazer, e sempre o embriaguem os carinhos dela” (Pv. 5:18,19).

A Bíblia também diz: “Desfrute a vida com a mulher a quem você ama” (Ec. 9:9). E não dá pra ler essa recomendação e entender que ela não inclui a intimidade sexual.

Não podemos esquecer que Deus inspirou um livro inteiro da Bíblia para tratar desse tema: O Cântico dos Cânticos.

Além de tudo isso, Paulo ensina que cada cônjuge deve cuidar da satisfação sexual do outro: “O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher, e da mesma forma a mulher para com o seu marido. A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido. Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher. Não se recusem um ao outro, exceto por mútuo consentimento e durante certo tempo, para se dedicarem à oração” (I Co. 7:3-5a).

A Bíblia me dá tanta certeza de que o sexo é uma bênção, que eu me sinto à vontade pra falar desse assunto nas minhas conversas com Deus. Sexo já era pauta nas minhas orações antes mesmo de eu casar. Quando falava com Deus sobre casamento, além de pedir que Ele me desse todas as condições para amar minha esposa, pastoreá-la e conduzi-la na vontade de Deus, eu também pedia que eu e ela fôssemos realizados sexualmente no casamento. E, agora casado, tudo isso não deixa de ser tema das minhas orações. E creio que todo cristão casado deveria orar por isso.

Por ter criado o sexo, e por isso ser muito bom, Deus estabeleceu princípios para que o sexo não fosse distorcido pelo mal e para que fosse aproveitado da melhor forma possível.

Entre os princípios que Deus estabeleceu para que seus filhos desfrutem do sexo, neste momento gostaria de destacar apenas três: sexo com compromissosexo em comunhãosexo para prazer mútuo.

1. Sexo com compromisso

O sexo deve ser desfrutado dentro de um compromisso de amor que une homem e mulher por toda a vida, até que a morte os separe. Esse compromisso é o casamento. E apenas aí o sexo deve ser desfrutado. A vida sexual deve ser acompanhada pela responsabilidade do casamento, em que cada cônjuge tem o dever de zelar pela vida, sentimentos e expectativas um do outro. Como diz o autor da carta aos Hebreus: “O casamento deve ser honrado por todos; o leito conjugal, conservado puro; pois Deus julgará os imorais e os adúlteros” (Hebreus 13:4).

2. Sexo em comunhão

Não se pode conceber o casamento como se fosse apenas o compromisso de ter um único parceiro sexual por toda a vida. Casamento é muito mais do que isso, e para a sua saúde e plenitude é necessário amizade, intimidade, companheirismo, cumplicidade e comunhão. Por isso, a intimidade sexual, para ser melhor aproveitada, deve se desenvolver em meio à intimidade de alma, de vida, sobre a comunhão do casal. Mais do que parceiros sexuais, marido e mulher precisam ser amigos. É triste ver casais que, apesar de anos de casados, não são amigos. Amizade é indispensável para a plenitude do casamento, inclusive da vida sexual.

3. Sexo para prazer mútuo

Sexo não pode ser visto apenas com fins reprodutivos. A intimidade sexual é para ser desfrutada, aproveitada. No casamento, o sexo é uma bênção, é bom, puro e santo. Mas cada cônjuge deve ter em mente o satisfação do outro. É isso que a Bíblia ensina quando diz: “O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher, e da mesma forma a mulher para com o seu marido. A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido. Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher”. A satisfação sexual do outro é um dever de cada cônjuge no casamento. É uma dívida a ser paga. E não é impossível pagá-la para quem ama. Especialmente os maridos devem aprender a amar suas mulheres mais do que gostam de sexo. No casamento, a relação sexual é pura, prazerosa e legítima, e deve ser limpa de toda atitude abusiva e egoísta.

Esses são apenas alguns princípios essenciais para que os filhos de Deus desfrutem com plenitude dessa bênção chamada sexo.

Que Deus siga orientando seu povo sobre esse tema tão importante na vida conjugal.

Em Cristo,

Anderson Paz
Google+ Anderson Paz

Posts relacionados:
–  “Eu precisava casar…”
– Ame sua esposa
– Casamento: um campo a semear

blank
Siga
blank
Siga

Últimos posts por Anderson Paz (exibir todos)

Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest