Azimute – Filipe Flexa (voz e violão)

Azimute - Filipe Flexa
Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

Azimute (Filipe Flexa)
Letra:

Permita que minha vida esteja escondida
Guardada e protegida na rocha de amor
Permita que a mensagem supere o instrumento
Que meu maior alento seja alegrar a Ti

Permita que eu veja com os olhos da beleza
A cor da natureza mansa e humilde de Cristo

Permita que eu seja como aquela estrela
Que orienta os navegantes andando pelo mundo
Que Cristo é o norte que muda a nossa sorte
Permita a honra de pra sempre te servir

Permita que eu seja mais um que se entrega
Permita que eu tenha o coração de uma criança
Que se alegra enquanto dança por te ter como Pai

Permita que eu aprenda a mais sublime graça
A humilde dependência, simples, que te faz sorrir
Permita a poesia sincera a cada dia
Se escreva na alegria que se tem ao te servir

Permita que eu veja com os olhos da beleza
A cor da natureza mansa e humilde de Cristo

Permita que eu seja como aquela estrela
Que orienta os navegantes andando pelo mundo
Que Cristo é o norte que muda a nossa sorte
Permita a honra de pra sempre te servir

Permita que eu seja mais um que se entrega
Permita que eu tenha o coração de uma criança
Que se alegra enquanto dança por te ter como Pai

Conexão Eclésia

Conexão Eclésia

Amamos a Jesus, por isso lutamos por Sua vida na Igreja.
Conexão Eclésia

Últimos posts por Conexão Eclésia (exibir todos)

Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest