Arquivo Morto

arquivo morto
Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

Sempre gostei muito de escrever. Desde pequena os papéis, canetas e lápis eram espalhados por todo canto. O tempo se passou, eu fui crescendo e essa mania continuou. 
Eu escrevo onde estiver, seja no meu celular, no computador, nos meus variados cadernos e quando não tenho nada em mãos redijo os textos nos meus pensamentos. Escrever sempre me ajudou a enxergar melhor quem eu sou, e às vezes quando estou triste, sento no meu sofá, pego um café, o caderno e passo horas escrevendo, ali enxergo perfeitamente como está meu coração.

Depois que decidi entregar minha vida a Jesus, no final do ano de 2004, os meus arquivos de textos aumentaram consideravelmente. Cada reunião da igreja que eu participava sempre me gerava novas anotações. As minhas leituras bíblicas quase nunca finalizavam sem algum rascunho, tudo isso porque, em minha sede interior, eu não queria perder uma só palavra que o Deus Altíssimo falasse comigo. Tudo ficava devidamente anotado e sublinhado para que eu não deixasse nada passar.

Mas o problema começou quando eu iniciei um verdadeiro estoque de informações. Em certo dia, um amigo meu me disse: “Dri, você é uma menina muito cheia de teorias”. Talvez ele nem imagine como me ajudou com esse comentário. Encarei o que eu estava ouvindo como uma crítica a respeito do meu caráter, e parei seriamente pra pensar melhor naquilo. Analisando minha vida percebi que meu amigo tinha toda razão, pois as teorias eram inúmeras na minha cabeça e a prática estava extinta na minha caminhada com o Deus Altíssimo. Eu estava vivendo uma verdadeira obesidade mental.

Desde o ano de 2004 eu venho conhecendo de perto um Deus que, antes de qualquer coisa, tem o interesse maior em transformar o nosso caráter e coração para serem semelhantes ao dEle. E diante de todas as exortações sobre caráter que a Bíblia nos mostra, diante de Jesus – o Filho de Deus – que veio à terra como um verdadeiro exemplo a ser seguido, eu me questionei sobre tamanho do arquivo morto que eu havia construído e vinha estocando cada vez mais coisas por todo aquele tempo. Com minha vida teórica e com todo conteúdo que Deus já havia me entregado, onde estava a minha prática? Onde estava o meu exemplo? Onde estavam os meus frutos? 
A Bíblia nos diz:

“Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos” (Tg. 1:22).

Desde aquele dia eu me arrependi profundamente pelo enorme arquivo morto que eu havia construído em minha vida. E diariamente tenho escolhido não enganar mais a mim mesma, sendo apenas uma ouvinte que registra a palavra, os ensinos de Deus, e não pratica. 
Eu quero e posso alcançar essa mudança. No pouco tempo que estou começando a praticar o que já aprendi com Deus, como o perdão, o amor incondicional, a confissão dos meus erros, a confiança nEle, percebi que até minha saúde está melhor. Hoje encontrei um equilíbrio emocional maior. Meus sentimentos estão me dominando menos e nesse processo eu escolhi permanecer, porque quero ser alguém com o objetivo de alegrar o Autor e Criador da minha vida, e assim cumprir o que Ele espera de mim nessa terra. Afinal Ele é o escritor mais famoso que existe, dEle é o livro mais vendido no mundo e eu quero ser semelhante a Ele!

Reflita sobre como está sua prática com a Palavra e o Reino de Deus? Avalie seu coração, seus frutos diante do reino de Deus e encontre a resposta!

Andriele Caroline Santos 

Conexão Eclésia

Conexão Eclésia

Amamos a Jesus, por isso lutamos por Sua vida na Igreja.
Conexão Eclésia

Últimos posts por Conexão Eclésia (exibir todos)

Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest