Amar como Jesus?

amar como jesus
Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

Posso amar como Jesus?

“Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis” (João 13:34). O que nos faz pensar que é impossível amar como Jesus amou é a má interpretação do texto. “Como amou” não quer dizer “quanto amou”. Como não é quanto. Pensamos em quantidade e não na forma.

Jesus, na verdade, está falando de uma forma de amar, e não em quanto Ele nos amou. Para os homens, é impossível amar tanto quanto Deus nos ama, porque Deus é amor. Ninguém alcança esta plenitude de amor. No entanto, quando entendemos que Jesus se refere a uma forma de amor, outras passagens bíblicas se tornam claras: “Sede pois imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus em aroma suave” (Efésios 5:1,2).

Para amar como Jesus, devemos antes descobrir como Jesus nos amou. O texto de Efésios nos responde, mas examinemos outro texto: “Nisto conhecemos o amor, em que Cristo deu sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos” (I João 3:16).

Esta passagem é muito especial. Ela me fortaleceu na minha maior crise conjugal. Este texto foi esclarecedor enquanto tentava entender Paulo: “Maridos, amai as vossas esposas assim como Cristo amou a Igreja e deu a sua vida por ela” (Ef. 5:25). Como pode um marido amar a sua esposa como Cristo amou a Igreja? Isso é impossível para alguém como eu, que desejava abandonar o lar. Mas o Espírito Santo veio ao meu socorro através desta carta de João. Ele chamou minha atenção para a palavra “nisto”. Era como se o apóstolo estivesse me mostrando alguma coisa. Mergulhando naquele diálogo com a Palavra, vi o que realmente quer dizer o amor. Ele me retirou um véu de sobre os olhos. Disse: “olhe Jesus crucificado entregando Sua vida a Deus em aroma suave, por você. Nisto, você pode conhecer o amor. Você deve contemplar Jesus dando sua vida”. O Espírito disse mais: “você também pode se entregar a Deus por sua esposa. Você pode morrer para as próprias vontades, abrir mão dos seus sonhos, seus desejos mais fortes e se render totalmente a Deus. Você pode apresentar o seu corpo como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. E caso você, pastor, realmente deseja seguir Jesus e ser um discípulo, não há opção. É um dever morrer por alguém. Entregue-se a Deus totalmente. Por Deus, pois Ele é digno. Por sua esposa. Por seus irmãos e até por você mesmo. Se o grão de trigo caindo na terra não morrer fica ele só, mas se morrer da fruto”.

São os dois “nistos” mais desafiadores que conheço. O primeiro, nas palavras de Jesus: “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor” (João 13:35). João afirma o segundo: “Nisto conhecemos o amor, em que Cristo deu sua vida por nós” (I João 3:16).  Não há como fugir desta realidade: é um mandamento do Senhor. Amar de verdade é entregar sua vida a Deus em aroma suave por alguém. Não para alguém, mas por alguém. O discípulo do Senhor Jesus é conhecido pelo amor, quando ele é capaz de doar sua vida a Deus em favor de alguém.

Sérgio Franco ><>
Texto extraído e adaptado do livro “Muro ou Porta?”

blank
Siga

Sérgio Franco

Equipe . Conexão Eclésia em Conexão Eclésia
blank
Siga

Últimos posts por Sérgio Franco (exibir todos)

Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest