Preciso de paz!

Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

Buscar a paz com todos não é uma opção na vida de um cristão, mas um mandamento do Senhor. A carta aos Hebreus deixa isto claro: “Esforcem-se para viver em paz com todos” (Hb. 12:14). A falta de paz em qualquer relacionamento só pode existir, se após várias tentativas para alcançá-la não tivermos êxito. É por isso que Paulo nos diz: “Façam todo o possível para viver em paz com todos” (Rm. 12:18).

Há ocasiões nas quais nos conformamos com pensamento de que a paz não está ao nosso alcance. Mas por este ser um pensamento confortável e tendencioso, torna-se necessário avaliarmos com profundidade se realmente falhamos em todas as tentativas para alcançar a paz. Se fizermos cuidadosamente essa avaliação, constataremos que muitas vezes estamos longe de fazer o mínimo para viver em paz com todos. Diante disso, fica uma pergunta: O que está ao meu alcance para ter paz com todos?

Essa pergunta é respondida por Jesus, quando ele nos diz: “Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem” (Mt. 5:39-44). Paulo também nos diz: “Abençoem aqueles que os perseguem; abençoem, e não os amaldiçoem. Não retribuam a ninguém mal por mal. … Se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber” (Rm. 14-20).

Tanto Jesus quanto Paulo nos apresentam o esforço mínimo que devemos fazer para viver em paz. Se não nos esforçamos, não podemos dizer que fizemos de tudo para ter paz com todos. E ainda não se pode dizer que todas as possibilidades se esgotaram.

Infelizmente, grande parte de nós, além de não estar disposta a fazer “todo o possível para viver em paz” (Rm. 12:18), tenta compensar essa falta com atitudes que só produzem uma “paz” aparente, falsa, enganadora. Tentamos viver em paz por meio de uma postura de não falar a Verdade, não reprovar o pecado, não confrontar o erro. E assim criamos uma ilusão, nos enganamos, pois a paz que não se sustenta pela Verdade, é mera conveniência, sustentada pelo medo de perder. Perder a amizade, o carinho, a admiração ou o respeito do outro.

Quando decidimos seguir Jesus, decidimos andar como Ele andou. Por isso nosso alvo é imitar sua mansidão, a ponto de não retribuir o mal com mal, mas vencer o mal com o bem, e também imitar sua firmeza e coragem para nunca negociar com a Verdade. Isso pode nos custar caro. Mas o Senhor nunca escondeu o preço de segui-lo. Que tenhamos a mansidão e a firmeza de Jesus em nosso dia a dia, para assim alcançarmos o sentido e o propósito de nossa vida: glorificar a Deus, expressando o caráter de Cristo.

Anderson Paz – https://www.facebook.com/andersonpaz1986

e Equipe Conexão Eclésia – https://www.facebook.com/conexaoeclesia

blank
Siga
blank
Siga

Últimos posts por Anderson Paz (exibir todos)

Compartilhe 😉Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest